sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Faça a diferença



Pessoas....
o que posso dizer se nesse momento só vem a palavra "saudades" em minha cabeça, sim, saudades de escrever aqui, compartilhar pensamentos, idéias e os meus momentos. E como eu já disse em outros textos, eu não posso ficar muito tempo longe daqui, afinal eu preciso soltar minhas loucuras em palavras pelo bem da sociedade (rs) Enfim, quero contar sobre algo que aconteceu comigo nessa semana e que sinceramente chamou minha atenção. E quero começar a narrar com o seguinte fato: voltei das férias e mudei de curso o que me alegra muito, pois é ai que minhas idéias brotam (rs). Voltando ao assunto (rs) bom, em um belo dia em que eu estava atrasada para a faculdade (o que não é uma novidade rs) fui comprar pão no meio desse atraso todo, sai pela rua sem ao menos olhar para os lados de tão rápida que estava, o detalhe era que também estava no celular, porém algo me chamou atenção no meio de tanta correria, pois logo na entrada da padaria estava um garotinho com uniforme escolar brincando com um filhote de cachorrinho, mas nem liguei muito, apenas achei a cena bonita e entrei na padaria. Ainda no celular comprei o pão e passei no caixa, sai quase que correndo da padaria quando o garotinho me parou e falou alguma coisa que eu não entendi, mas pensei que tivesse pedido dinheiro então nem dei atenção, pois não gosto de dar dinheiro pra criança e sai andando rápido, foi quando me dei conta que o menino saiu quase que correndo atrás de mim, pois os meus passos é quase uma corrida pra ele (rs) e começou a me seguir com o cachorrinho no colo por sinal (rs) até que me parou. Então distanciei o celular do meu ouvido para dar atenção e sabem o que ele me pediu? um pão, sim meus caros amados, um simples pão. Abri a sacola e com todo o prazer dei um pão pra ele, vi ainda que iria dividir com o cachorrinho no colo e logo voltei com o celular. Esse momento não saiu da minha cabeça, desde o momento que vi ele brincando até o pedido do pão, me deu vontade de voltar e conversar com ele, saber pelo qual motivo ele estava ali.
Confesso meus caros que analisei muito esse momento, na verdade me deu vontade de carregar aquele garoto comigo pra poder dar tudo aquilo que ele não tem e cuidar dele, pois fico a imaginar o futuro dessa criança, se no lar dele tem carinho, amor, paz, alimento, educação e tantas outras mil coisas. E outra coisa que me chamou atenção foi o carinho que ele tratava o filhotinho e que apesar de provavelmente estar com fome ele ainda iria dividir com o cachorrinho, dai pensei...nossa mesmo com fome ele iria dividir.
Resumindo um pouco é que eu achei um momento especial e pensei nas milhares de crianças no mundo que estão nessa situação e até pior, pedindo até por um abraço ou um apenas um sorriso, pensei em tantas outras crianças que estão em um orfanato, que querem e merecem serem amados e cuidados.
Então pessoas, se vocês podem melhorar algo melhorem, mesmo que seja pouco aos seus olhos tenho certeza que aos olhos de quem estará recebendo será algo notável. Não tenho nada a dizer além de que FAÇAM A DIFERENÇA.
Sintam-se beijados e abraçados todos os dias por minha pessoa.





segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Olhar...




Meus caros,

sabem de quem é esse olhar???nem te conto já contando (rs) pois então, esse olhar é meu...
Agora assim como vocês devem estar se perguntando eu também estou, o porquê botei essa foto. Bom porque acho que o olhar diz muitas coisas, desde de tristezas a alegrias, consegue fazer qualquer pessoa tremer com um olhar bem dado.
Acho muito interessante o olhar das pessoas, tem pessoas que tem um olhar vago e tem outras que tem um olhar tão profundo que parece que vêem tudo que a pessoa pensa e sente, chega a dar um medo e tremedeira (rs). É intrigante como existem seres que nos deixam desconcertados só com o olhar, apenas com um olhar, mas porque será né? Confesso que até hoje não consegui achar a resposta de não conseguir olhar nos olhos de algumas pessoas por muito tempo como olho nos olhos de outras. E é isso que me deixa curiosa, o tal do mistério, mas enfim...não irei prolongar muito, então deixarei pra vocês o meu olhar 43 (nada de olhar 43, mas tudo bem rs) e também um poema do Fabrício Carpinejar e adaptado por Ana Carolina.


Desculpa
Te olho nos olhos e você reclama...
Que te olho muito profundamente.
Desculpa,
Tudo que vivi foi muito
profundamente...
Eu te ensinei quem sou...
E você foi me tirando...
Os espaços entre os abraços,
Guarda-me apenas uma fresta.
Eu que sempre fui livre,
Não importava o que os outros dissessem.
Até onde posso ir para te resgatar?
Reclama de mim, como se houvesse possibilidade...
De me inventar de novo.
Desculpa...
Desculpa se te olho profundamente,
rente à pele...
A ponto de ver seus ancestrais...
Nos seus traços.
A ponto de ver a estrada...
Onde ficam seus passos.
Eu não vou separar minhas vitórias
Dos meus fracassos!
Eu não vou renunciar a mim;
Nenhuma parte, nenhum pedaço do meu ser
Vibrante, errante, sujo, livre, quente.
Eu quero estar viva e permanecer
Te olhando profundamente.